domingo, 17 de julho de 2016

OS EP's DO CONJUNTO NIGHT STARS

O Conjunto Night Stars iniciou a sua actividade com este nome, em 1962, em Lourenço Marques (actual Maputo) / Moçambique. Actuaram tanto nesta cidade como um pouco por toda aquela Província Ultramarina. A sua primeira formação foi a seguinte: Carlos Alberto (bateria), Mário (viola solo), Alex (Alexandre Rodrigues – viola ritmo/teclas e voz), Guita (viola baixo) e Falcão (vocalista). Este conjunto, com inúmeros fãs em terras moçambicanas, acompanhava os ritmos contagiantes e inebriantes da música moderna da época, a chamada “Nova Vaga” e “soube impor-se, conquistando um público vasto, o que o levou aos lugares cimeiros dos conjuntos moçambicanos”. Os seus principais “rivais” em Moçambique, neste género de música, foram “Os Corsários” de Lourenço Marques e “Os Rebeldes” da Beira. Actuavam especialmente em tardes dançantes, na Associação dos Velhos Colonos, em bailes, casamentos, festas de fim de passagem do ano, no Hotel Cardoso e no Hotel Girassol, outras Associações e Clubes, etc…


Alguns meses depois, o grupo sofreu a sua primeira alteração. Saiu o vocalista Falcão e entrou para o seu lugar o Bob Woodcook. Na mesma altura em que o Bob entrou para o conjunto, Noel Cardoso (viola baixo) que tinha vindo da Beira, substituiu o Guita. Assim, a nova constituição passou a ser a seguinte:

Bob Woodcock (vocalista)
Alex Rodrigues (piano / viola ritmo/voz)
Mário Sousa (viola solo)
Noel Cardoso (viola baixo) e
Carlos Alberto (bateria)  


Em finais de 1964, o Carlos Alberto (bateria) também foi substituído pelo Dino Antunes. Carlos Alberto viria a integrar vários outros grupos, entre os quais “Os Corsários”, “Os Inflexos” e AEC 68. Assim, finalmente, a nova constituição do grupo apresentava os seguintes músicos:

Bob Woodcock (vocalista)
Alex Rodrigues (piano / viola ritmo/voz)
Mário Sousa (viola solo)
Noel Cardoso (viola baixo) e
Dino Antunes (bateria)

Antes de se apresentarem às eliminatórias do saudoso Concurso Yé-Yé, os Night Stars ainda gravaram 2 EPs: O 1º EP (fabricado na Holanda) – Distribuição de “Rex” Lourenço Marques (1964), integrando já o Noel Cardoso no baixo que substituíra o Guita, e ainda mantinha o Carlos Alberto na bateria, onde se incluíam os seguintes temas: "Night Stars Twist" / "Nita" (instrumental) / "Heah!" e "Mean Woman Blues"O tema "Nita" era um cover do tema com o mesmo nome interpretado pelo Conjunto Sul-africano The Meteors. Posteriormente (1965) já com a nova constituição do grupo e como consagração e exigência do público, surgiu a segunda gravação comercial (o 2º EP – ATEP 6159), gravado nos estúdios do Rádio Clube de Moçambique, com o patrocínio da Discoteca da Companhia Ultramarina de Comércio Lda., em Lourenço Marques, com a etiqueta Orfeu / Arnaldo Trindade / Porto, com os seguintes temas: "Babichon" / "Jeny" / "Tsotsi" e "Run Back Home"Mais uma vez o tema "Tsotsi" foi retirado da música popular Sul-africana e baseado na interpretação do grupo Sul-africano The Meteors.


Os Night Stars foi considerado o melhor conjunto da época em Moçambique e a comprová-lo, venceu as diversas eliminatórias regionais do Concurso Yé-Yé e é assim que se qualificou como representante daquela Província Ultramarina no Concurso Nacional de Yé-Yé, em Lisboa, no ano de 1966. Na final deste Concurso que decorreu no Teatro Monumental em Lisboa, em 30 de Abril de 1966, os Night Stars ficaram em 3º lugar na classificação geral (1º Os Claves e 2º Os Rocks, de Angola) recebendo o prémio Peninsular pela melhor interpretação de música portuguesa, com o tema “Eu Sei”, uma versão portuguesa de um tema dos Beatles, I’ll Be Back. Em 1966, os Night Stars gravaram o seu 3º EP (ATEP 6193), agora em Lisboa, com o patrocínio da Discoteca da Companhia Ultramarina de Comércio Lda., em Lourenço Marques, com a etiqueta Orfeu / Arnaldo Trindade / Porto, com os temas: "Eu Sei (I'll Be Back)" (tema com que venceram o Prémio Peninsular/1966), "Hungry for Love", "Stop, Look and Listen" e "She Only Wants a Friend".

Actualmente, do que se sabe, Bob Woodcook ainda está por Moçambique. Noel Cardoso aposentou-se e viveu durante alguns anos em Salvador/Bahia, Brasil. Actualmente reside em Oeiras/Portugal. Mário Sousa ainda continua a tocar por cá. O saudoso amigo Alex Rodrigues, infelizmente já faleceu. O Dino está em Portugal, tendo deixado de tocar bateria em 1979, dedicando-se ao piano desde então. Vive para os lados de Paço d'Arcos. O Carlos Alberto que por cá tocou na Sygma Band (na Madeira e Casino da Figueira), encontra-se por vezes na Figueira da Foz ou em Almada, e do Guita nada mais soube. O grupo desfez-se já perto dos finais dos anos 60, tendo o Alexandre Rodrigues cumprido (comigo) o serviço militar na 2ª Companhia de Caçadores, em Belém-Niassa/ Moçambique. Para ele, esta pequena mas sentida homenagem!
Biografia por  Carlos Santos

Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...